Lucas Divino está em boa fase e tem muitos planos para a competição

By: Com informações de Justin Felisko  segunda-feira, 9 de abril de 2018 @ 14:23

Andy Watson/BullStockMedia.com.

Lucas Divino se adaptou muito fácil aos Estados Unidos desde que estreou na PBR, há três semanas  no Ty Murray Invitational.

O atleta declarou que estava confiante dentro da Dreamstyle Arena e que não se sentiu pressionado em momento nenhum, pois para ele o sentimento de estar na arena era o mesmo de estar em casa.

O competidor de 24 anos se saiu muito bem em Albuquerque, Novo México, quando fez um impressionante 3-para-4 e terminou um dos eventos mais difíceis da 25ª edição da PBR: Unleash The Beast  em sexto lugar.

Sua primeira montaria foi o touro Alligator Arms e faturou 85 pontos - o mesmo touro em que o campeão mundial de 2017, Jess Lockwood, montou para ganhar seu primeiro evento profissional em Billings, Montana – já na última o atleta conquistou 88,25 pontos no Magic Train, o mesmo touro que José Vitor Leme montou em 2017 e proporcionou a vitória na PBR World Finals 2017.

“Estou muito entusiasmado por poder montar aqui, este é meu sonho desde criança. Sempre quis andar com esses grandes nomes e tudo mais”, comentou Divino.

Lucas é 13-para-23 em todos os níveis de competição e tem uma chance tão boa quanto qualquer um de seguir facilmente os passos de Leme e Lockwood e conquistar o título de Rookie of the Year.

“Eu nunca havia competido em um evento da PBR EUA até este ano, mas sinto que estou indo muito bem”, disse ele.

O atleta cresceu em Nova Crixas, a maior cidade de produção de gado de corte no estado de Goiás. A cidade também fica a cerca de seis horas ao norte de onde o veterano da PBR, Valdiron de Oliveira, cresceu.

Divino iniciou no esporte somente com 16 anos de idade. "Eu não tinha ninguém que montasse touros, meu avô montava cavalos e meu pai nunca montou em nenhum animal”, contou.

Lucas afirma que suas inspirações para iniciar no esporte mais radical do mundo vieram do tricampeão mundial Silvano Alves, o campeão mundial Guilherme Marchi e de João Ricardo Vieira. “Eu fui muito inspirado por eles", acrescentou.

“Todo mundo diz que minha forma de montar é muito parecida com a de Silvano, porque fico com o braço para cima e para fora”, disse o competidor.

Alves concorda e disse estar animado em ver como Divino se sairia nos Estados Unidos depois de vê-lo apenas nas competições do Brasil.

"Ele parece comigo. É um cara alto e seu braço é como o meu, ele tem potencial para montar touros americanos também”, comentou Alves.

Divino não é tímido sobre quais são seus objetivos nos Estados Unidos. Ele quer fazer uma turnê em tempo integral e se tornar o sétimo atleta brasileiro a conquistar o prêmio de Novato do Ano dos últimos nove anos.

Ele acredita que ainda pode ganhar um campeonato mundial este ano e se tornar o primeiro novato a ganhar a ilustre fivela do PBR.

Ele está 1.420 pontos atrás do líder mundial Ramon de Lima, com quem Divino está morando em Decatur, Texas.

"Seja um campeão mundial. É o que acredito, por isso tenho montado bem e sinto que tenho feito o meu melhor” concluiu Divino.