Apoio da família de João Lucas era para jogador de futebol ou competidor em touros

By: Jorge Cardoso / PBR Brazil  segunda-feira, 6 de abril de 2020 @ 18:52

Foto por Alberto Gonzaga / PBR Brazil

Aos seis anos de idade, João Lucas Franchischinelli foi adotado por uma família tipicamente do interior paulista, que mora em um sítio, trabalha muito o dia todo, cuida bem das plantações e dos animais e, claro, tem o estilo sertanejo enraizado no sangue.

João foi criado com tanto carinho pela família que até adotou o sobrenome dela, Campos.

Mas ele conta que tinha um único problema nisso tudo. “Meu tio queria que eu fosse jogador de futebol e me levava sempre para os campinhos, me ensinava regras, mostrava jogos dos profissionais. Já meu pai queria que me tornasse um competidor de touros como ele, e pegava no meu pé para eu ir montar nos garrotes”, explica.

Claro que esse “problema” sempre foi levado por ele como brincadeira. “Era engraçado demais os dois querendo me encaminhar para um esporte”.

Corintiano apaixonado, João conta que chegou a pensar em ser um jogador. “Eu jogo bem até hoje, por influência do meu tio. Não perco um jogo do Corinthians e sempre que posso jogar futebol eu vou sim”.

Mas o divisor de águas foi quando ele ganhou seu primeiro prêmio aos 15 anos de idade. “Foi uma motocicleta. Eu não podia dirigir porque era muito novo, mas aquilo me deixou empolgado. Eu peguei o dinheiro para mim e decidi que iria me tornar um competidor de montaria em touros”.

Decidido a seguir os passos do pai, chegou a fazer dois cursos de montaria com Adriano Moraes e recebeu do ídolo algo que realizaria seu sonho. “Ele me disse que eu montava bem e ia me indicar para entrar na PBR Brasil. Eu fiquei feliz demais porque ia realizar um sonho de criança”, explica.

A primeira participação de João Lucas na PBR Brazil ocorreu em uma etapa da Divisão de Acesso em 2017 na cidade de Ibitinga, interior paulista, a bordo do touro Horizonte, com nota 79,50.

Mas a estreia na elite dos atletas em touros no Brasil foi em 2019 na cidade de São José do Rio Pardo (SP). “Não consigo nem explicar como foi a sensação quando chamaram meu nome e eu entrei naquela arena em um evento da PBR”, completa. Ele só conseguiu pontuar no primeiro round sobre o touro Baile de Favela, com 80,50 pontos.

João Lucas começou bem a temporada e era um dos nomes mais fortes ao título de Revelação do Ano (Rookie of The Year), mas sofreu uma lesão no cóccix.

“Foi logo depois de Americana, do Iron Cowboy. Eu estava treinando para Brotas e acabei me machucando”, diz. “Cheguei a fazer a final nacional em Brasília com dores e por isso não fui bem”, completa.

Depois da etapa final, João Lucas entrou em tratamento e seguiu uma rotina rigorosa de treinamentos de quatro a cinco dias por semana. “Não sinto mais dores e estou montando bem. Estou pronto para disputar mais uma temporada”.

Sobre seu sonho, ele explica que vai deixar o tio e o pai contentes. “Eu quero vencer no Brasil e ir para os Estados Unidos lutar para vencer o mundial por lá”, finaliza.

João terminou a temporada 2019 da PBR Brazil em décimo lugar, com 802,50 pontos, e um aproveitamento de 46,7% já que parou em 14 touros dos 30 que montou, e teve apenas uma nota na casa dos 90 pontos, no quarto round em Divinópolis (MG) a bordo do touro Careta.