Lesão na virilha direita afasta Leme das arenas do mundial; retorno ocorrerá em breve

By: Jorge Cardoso, com colanoração de Justin Felisko  quarta-feira, 22 de setembro de 2021 @ 10:15

Foto por Bullstockmedia

José Vitor Leme está em uma de suas melhores fases dentro das arenas, sem dúvidas. Líder do ranking da PBR (Professional Bull Riders) Unleash The Beast e com possibilidade de conseguir seu segundo título consecutivo, além dos recordes que está conquistando, ele é hoje um dos nomes mais populares do esporte.

Mas um dos desafios mais difíceis de Leme será o de vencer rápido a lesão na virilha direita, resultado de sua última montaria em Newark, quando garantiu 90,75 a bordo de Slingin Tears, de acordo com Dr. Tandy Freeman, em resposta a Justin Felisko da PBR.com.

“Sua lesão vai levar várias semanas para cicatrizar”, disse Freeman ao PBR.com na noite de terça-feira. “De duas semanas a muito mais tempo, se ele machucar de novo. É difícil prever a rapidez com que essas coisas cicatrizam. Algumas pessoas melhoram mais rápido do que outras. Espero que ele fique fora por algumas semanas, e conversamos sobre o fato de que, se ele não estiver sem dor, se não tiver suas forças de volta, ele pode ter que esperar até as finais para começar. A questão é que, se ele tentar voltar antes de melhorar, é provável que sofra uma nova lesão, e então pode ser pior do que é agora.”

Leme disse ao PBR.com na noite de terça-feira antes de postar nas redes sociais que ele não tem um cronograma exato de sua lesão e não vai voltar à competição tão cedo. Ele tem esperança de não perder muito tempo e pode retornar à arena em breve. A cada semana, Leme vai avaliar em que ponto está sua recuperação.

“Não vou forçá-lo a voltar”, disse Leme. “Vou aproveitar o momento certo para me recuperar e voltar quando me sentir bem.”

A boa notícia para Leme é que a lesão não termina a temporada e ele não precisa de cirurgia. “A ressonância magnética era para ter uma ideia da gravidade da lesão e ter certeza de que não era um problema cirúrgico”, disse Freeman. “Para ele, felizmente, não tem uma lesão que precise de cirurgia, o que significa que tem hipóteses de poder voltar nas finais. Se ele tivesse um problema cirúrgico, não seria um bom presságio para as finais.”

Leme, que nunca sofreu uma lesão na virilha antes, pode se dar ao luxo de levar as coisas devagar com essa lesão. Sua sétima vitória da temporada como líder da liga aumentou sua liderança na classificação mundial para 866 pontos no nº 2 Kaique Pacheco e 914 pontos no nº 3 Cooper Davis.

Até a temporada se encerrar serão seis eventos, incluindo a Final Mundial. E, neste momento, o brasileiro tem, praticamente, mais que o dobro de qualquer cowboy na competição.

Sem incluir as duas 15/15 Bucking Battles restantes, que valem cada uma no máximo 59 pontos mundiais, o máximo de pontos que um competidor pode ganhar por fim de semana na UTB é 167. E seria uma tarefa quase que impossível de um competidor vencer todos os rounds, as etapas e ainda garantir 90 pontos ou mais em cada montaria.

A única maneira de Pacheco pegar Leme antes das finais seria cada um de seus touros por 90 ou mais pontos e ainda vencer os próximos cinco eventos. Ele então precisaria recuperar os 31 pontos mundiais restantes participando de pelo menos uma das duas 15/15 Bucking Battles.

Um competidor, entretanto, pode ganhar um máximo de 1.094 pontos nas Finais Mundiais ao vencer todas as rodadas (80 pontos por vitória da rodada) e a somatória do evento (560 pontos) e postar seis montarias de 90 pontos.

Para Leme, ficar de fora destas próximas disputas será doloroso, até porque, ele está prestes a quebrar ainda mais recordes. Mas sua recuperação será mais importante para a Final Mundial para que ele chegue bem e conquiste mais um título mundial.